Telexfree suspende atividades por tempo indeterminado

masterbh-telexfree-pede-para-quebrar-contrato-com-divulgadores

Por meio de uma nota em seu site, a Telexfree informou nesta sexta-feira (16) que irá encerrar todas as suas atividades por tempo indeterminado.

Acusada de promover um esquema de pirâmide financeira, a empresa teve milhões de dólares e bens congelados em abril pela Justiça dos Estados Unidos, que entrou com uma ação contra a Telexfree.

Segundo a SEC (a comissão de valores mobiliários dos EUA), autora da ação na Corte Distrital de Massachusetts, a companhia operava por meio de “oferta fraudulenta e não registrada de títulos”, que tem como principais alvos brasileiros e dominicanos que vivem nos Estados Unidos.

Na nota, a Telexfree diz que teve de encerrar suas atividades pois a operação da empresa ficou inviável após a intervenção da Justiça.

“Nós continuamos a acreditar no VoIP da Telexfree e no modelo de vendas diretas. Na situação em que nos encontramos, entretanto, não sabemos quando ou se vamos ser capazes de convencer a Corte de Recuperações e outros órgãos legais do valor do nosso serviço de VoIP e do potencial de novos produtos.”

A empresa destaca, ainda, ter entrado com um pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos no dia 13 de abril.

“Já que não estamos atualmente em condições de apoiar nossa rede, é possível que os clientes enfrentem interrupção ou descontinuação do serviço. Associados independentes e promotores não devem representar a Telexfree de agora em diante sem aprovação de um novo plano de compensação pela Corte de Falência.”

INVESTIGAÇÃO

Desde o início de 2013, a Telexfree estava sendo investigada pelo Departamento de Defesa do Consumidor, que recebeu denúncias de diversos Procons do país e do Ministério Público do Acre.

Em junho passado, o órgão instaurou processo administrativo contra a companhia, que poderia ser multada em até R$ 6 milhões caso a fraude fosse comprovada.

Um mês depois, a Polícia Federal anunciou que também investigaria a empresa Ympactus Comercial Ltda., nome de fantasia da TelexFree. A determinação para abertura do inquérito foi dada pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Com a entrada da PF no caso, há uma investigação criminal.

A EMPRESA

A Telexfree tem sede no Espírito Santo, mas atua pela internet. A empresa apresenta-se em seu site como fornecedora de serviços de voz e faz propaganda de enriquecimento fácil a quem se torna “divulgador” de seus serviços.

O trabalho oferecido pela companhia consiste em espalhar anúncios pela internet. Para participar, contudo, o colaborador tem de pagar uma taxa de adesão e comprar um “kit” que o habilita à função.

Ela ainda oferece o pagamento de comissão a quem trouxer mais membros.

A Telexfree está proibida, no entanto, de aceitar novos colaboradores desde junho por determinação da Justiça de Rio Branco (AC).

Reprodução
Site da empresa TelexFree, que se apresenta como fornecedora de serviços de voz
Site da empresa TelexFree, que se apresenta como fornecedora de serviços de voz

Fonte: Folha Online

Autor: Everton Moraes

Analista de Mídias, Redação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *