Orientando o Fornecedor: cobrança de dívidas

orientando-o-fornecedor-cobranca-de-dividas

Não receber por um produto vendido ou um serviço prestado é bem desagradável, certo? Mas, não é porque o consumidor está inadimplente que o fornecedor pode cobrar de qualquer jeito e expor seu cliente a constrangimento.

Tema mais procurado por fornecedores no site do Procon-SP, a cobrança de dívidas será tratada no post de hoje da série “Orientando o Fornecedor”.

Uma vez verificada a inadimplência, o fornecedor poderá realizar a “negativação” do consumidor inadimplente nos órgãos de proteção ao crédito. Entretanto, é indispensável a informação prévia e clara  ao consumidor sobre a possibilidade de inclusão neste tipo de cadastro.

Essa comunicação deverá ser feita em prazo suficiente para que o consumidor possa quitar o débito antes da inclusão. O comunicado precisa ter as seguintes informações: o fornecedor a quem se deve efetuar o pagamento; o local para a sua realização e o valor do débito.

Atenção! A inscrição em cadastros de consumo não pode ser superior a cinco anos pela mesma dívida. Não se pode, por exemplo, após cinco anos, atualizar o valor  inicialmente devido e, então, providenciar nova “negativação”, como se fosse nova dívida, já que a origem da inadimplência é a mesma.

O consumidor, ainda, tem o direito de solicitar correção de qualquer dado inexato ou incorreto a seu respeito.

Cobrar pode, constranger não

A relação contratual que envolve fornecedor e consumidor deve ser pautada pela harmonia, equilíbrio dos interesses e boa-fé. É direito do fornecedor efetuar a cobrança de dívidas, porém, é ilegal expor o devedor ao ridículo ou submetê-lo a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça. Portanto, o fornecedor não pode:

  • utilizar termos como “caloteiro” para cobrar o consumidor;
  • ligar no trabalho ou expor, no estabelecimento ou em qualquer outro local, o nome de quem deve.
  • efetuar cobranças em mídias sociais. A não ser que esse seja o único canal de contato que o consumidor possua e tenha disponibilizado.

O fornecedor também precisa ficar atento aos horários para efetuar cobrança, pois de acordo com a Lei Estadual 15.426/14, os telefonemas com essa finalidade devem ser realizados de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 20 horas, e aos sábados, das 8 horas às 14 horas, exceto feriados.

O fornecedor pode tirar suas dúvidas em um espaço voltado especificamente para ele no site do Procon-SP. No próximo post iremos tratar de garantias.

Fonte: Procon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *