Direitos do consumidor quando médicos do plano de saúde entram em greve

direitos-do-consumidor-quando-medicos-do-plano-de-saude-entram-em-greve1

Com uma certa frequência, os médicos paralisam o atendimento a pacientes de planos de saúde para reivindicarem melhores condições de trabalho e remunerações mais justas. Mas, como fica o consumidor nessas situações? E se ele perder a consulta que estava marcada há meses, quais os seus direitos? No post abaixo explico o que pode ser feito para que ninguém seja lesado

As paralisações no atendimento feito por médicos, como forma de repúdio ao baixo valor pago pelos planos de saúde por consulta, têm se tornado cada vez mais constantes no país e afetado a vida de milhares de pessoas.

Em alguns casos, o atendimento é paralisado apenas por algumas horas, mas há episódios em que o consumidor fica desassistido por mais de uma semana. Nestas situações, o usuário do plano de saúde não deve se desesperar porque o plano tem que se responsabilizar.

O paciente tem o direito de ir normalmente ao consultório ou ao laboratório, pagar pela consulta ou exame e ser reembolsado integralmente pelo plano de saúde, que deixou de prestar a ele os serviços que já estavam pagos na mensalidade. Mas, é importante que o consumidor tenha em mãos o recibo de tudo o que pagou para cobrar depois.

É bom saber também que, em casos de paralisação, o consumidor não precisa ir necessariamente a um médico conveniado ao seu plano.

O paciente pode optar pelo que for melhor financeiramente e logisticamente falando. Se, por ventura, aquele médico com o qual iria se consultar cobrar muito caro no particular, o cliente pode ir a outro profissional que cobre mais barato e não necessariamente faça parte da rede credenciada.

Mas, pagar pelo atendimento não é a única saída. Existe a opção de buscar atendimento judicial para que o atendimento seja cumprido.

Muita gente se sacrifica para pagar o plano de saúde todo mês e não tem uma quantia extra para desembolsar para ter direito a uma consulta ou exame. Por isso, existe a alternativa de entrar com um pedido de liminar, que costuma ser julgada rapidamente em casos de saúde. Então, o plano é obrigado a prestar o serviço devido sob a pena de ter que pagar indenizações por danos morais e materiais ao cliente.

Fonte: Info Money

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *