Aluno detido nos EUA por relógio pede US$ 15 milhões de indenização

Jovem muçulmano tinha relógio caseiro que foi confundido com bomba. Defesa de estudante diz que ele foi detido injustamente.

Jovem muçulmano tinha relógio caseiro que foi confundido com bomba. Defesa de estudante diz que ele foi detido injustamente.

A família do estudante muçulmano que foi detido no Texas, nos sul dos Estados Unidos, por levar à escola um relógio caseiro, que as autoridades confundiram com uma bomba, pediu nesta segunda-feira (23) US$ 15 milhões em indenização à prefeitura de Irving e ao estabelecimento de ensino para evitar um eventual processo.

Os advogados que representam a família de Ahmed Mohammed, de 14 anos, alegaram que o menino foi “detido injustamente, ilegalmente e interrogado sem a presença de seus pais”.

Assim, a defesa do jovem solicitou US$ 10 milhões à prefeitura e outros US$ 5 milhões ao Distrito Escolar, além de um pedido público de desculpas.

Os advogados deram um prazo de 60 dias a essas instituições para que realizem o pagamento e evitem uma ação na Justiça.

Mohammed foi detido em setembro quando um de seus professores confundiu o relógio caseiro que tinha levado à escola com uma bomba, um episódio polêmico que muitos associaram à origem islâmica do jovem.

Após ser libertado, Mohammed recebeu o apoio do próprio presidente dos EUA, Barack Obama, que o convidou à Casa Branca.

Na época, muitas universidades americanas abriram suas portas ao jovem, mas a família de Mohammed aceitou uma oferta da Catar Foundation para se estabelecer em Doha e seguir com seus estudos.

“De forma compreensível, o senhor Mohammed está chateado com o tratamento dado a seu filho e a motivação desagradável e discriminatória de sua detenção”, disseram os advogados da família nas cartas enviadas à prefeitura e ao Distrito Escolar.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *